terça-feira, 14 de setembro de 2010

O que é o que é: congestionamento?

Olá pessoas, sejam bem vind@s novamente no meu blog! Demorei mas voltei, e antes tarde do que tarde demais. Bom, neste novo post eu to inspirado, se segure que vou começar a esmiuçar um dos problemas do transporte urbano e que se tornou companheiro diário de todos os habitantes da Soterópolis: o congestionamento urbano. Pra quem não sabe o que é esmiuçar, essa palavra pode parecer estranha mas ela existe, e significa "examinar minuciosamente". Se você não sabe o que significa minuciosamente, desista.
 
 
 
 
Bom, voltando ao tema, congestionamentos. Quem pode me dizer aí o que é o congestionamento? Bom, explicar o que é o congestionamento não é tão difícil, basta você me dizer que o congestionamento é uma condição que surge do aumento do tráfego em uma via, ou seja, é um monte de carro enfileirado - e muitas vezes buzinando no seu juízo. Não está errado não colega, mas certamente o congestionamento não se resume a isso. A maioria das pessoas tem sua própria definição do que é o congestionamento. Cada um vive o congestionamento de um jeito. Se você parar ali na Paralela, às 18:30, e sair perguntando aos motoristas e passageiros dos ônibus parados o que é o congestionamento, você terá uma gama de definições do tipo: 

- Congestionamento é um monte de gente querendo passar por uma p$or@!& de uma rua que já não suporta mais essa quantidade de carro...

- Congestionamento é o que me faz chegar em casa todo dia 8 da noite meu caro...

- Congestionamento é esse povo 'maléducado' aí na frente véi, quer todo mundo passar de vez! Tá vendo que num dá?!

- Rapaaaaiz, esse congestionamento é uma m%#r!#@ viu! Me estressa!

- Desculpa, mas congestionamento não é a mesma coisa que engarrafamento?

- Congestionamento é imobilidade...ficar aqui parado um tempão pra chegar em casa...daqui a pouco começa Jo Soares e eu ainda to aqui...  

- Rapaz, esse congestionamento é uma falta de respeito! Pagamos caro por esse transporte ridículo, e ainda temos que ficar horas aqui em pé pra chegar em casa! Congestionamento é isso! Cadê os político essa hora? Tão tudo nos carro!

- Ô seu moço, congestionamento é um monte de carro na rua! Nunca vi tanto carro!

Bom, percebe-se que todo mundo sabe instintivamente o que é o congestionamento, a maioria das pessoas tem sua própria definição. Isso implica dizer que não existe uma definição universal para o problema. Esta carência de definição talvez dificulte a implementação de certas medidas, uma vez que precisa estar claro o que se deseja solucionar. De uma forma mais geral, eu posso dizer que o congestionamento é uma deficiência do sistema de transportes em alocar as necessidades de deslocamento. Entenda que sistema de transportes não é o sistema de transporte público, mas sim todo o sistema, que integra todos os modais (carro, ônibus, trem, bicicleta, metrôelevadores, inclinados e o famoso "a pé" que por aqui nem é tratado como um modo de deslocamento). Uma outra abordagem utilizada para definir o congestionamento é trata-lo como um simples problema de engenharia hidráulica. Nesta analogia, maiores canos permitem uma maior quantidade de fluidos - aumentando a capacidade das vias, permite-se uma maior quantidade de veículos. O equívoco desta visão é que ela ignora a principal variável do problema: as pessoas. Diferentemente dos fluidos, as pessoas fazem escolhas, e as vias, diferentemente dos canos, cumprem diferentes funções dentro das cidades. Sendo assim, é baseado nesta abordagem é que se obtêm a solução corriqueira do problema: ampliação da infraestrutura viária (leia-se alargar avenidas, construir viadutos, etc.). 
 



No meio acadêmico não há mais espaço para esta medida como solução para os congestionamentos urbanos. Para alguns autores, a eficácia deste modelo é limitada não só pelo alto custo mas também pelo fenômeno da demanda latente e demanda induzida. Calma que eu vou explicar o que é isso aí. A demanda induzida é aquela que de fato utiliza o bem. Entendeu? Bom, mais simples: demanda induzida é você e toda aquela galera que decide passar pela Paralela às 18:00. Essa é a demanda induzida. - E a 'demanda latente' seu Valera? A demanda latente são aqueles que gostariam de utilizar o bem, mas não utilizam. Demanda latente é você quando vê que tá tudo engarrafado, olha e pensa: "vou deixar pra ir mais tarde..." ou então prefire dar a volta na cidade do que passar por ali agora. Demanda latente é o que também podemos chamar de demanda potencial. Ela tá lá, doida pra utilizar a via, mas não usa porque acha que o custo de enfrentar o congestionamento será maior do que esperar pra ir mais tarde ou mudar a rota. Basta um bom motivo pra você passar a utilizar esta via. A Rótula do Abacaxi, por exemplo, é o que chamamos de gargalo urbano em Salvador. Trafegar ali era sinônimo de dor de cabeça (e continua sendo, não se engane). Muita gente evitava trafegar neste trecho em certos horários, evitando ficar parado no engarrafamento. Como já foi relatado no post anterior, a Rótula hoje está em transformação, a pleno vapor, com pelo menos uns três novos viadutos para serem inaugurados, o que melhorará positivamente o trânsito na região. A pergunta é: até quando vai durar esta melhoria? Vamos pensar um pouco...demanda latente e demanda induzida...quem usava a Rótula anteriormente, continuará usando, isso é óbvio. Aqueles que gostariam de usar, mas não usavam, serão incentivados a usar, afinal, agora o trânsito na região vai melhorar. No longo prazo, a demanda induzida vai incorporar toda a demanda latente anterior. Trocando em miúdos, agora todo mundo que já usava e quem também queria usar vai passar a usar a Rótula. Com o tempo, aquela melhoria inicial desaparecerá. Quem não lembra dos alargamentos da Avenida Paralela? Melhorava num instante e pouco tempo depois ela tornava-se novamente insuportável. É o fenômeno da demanda latente.
 
 
 

Pronto, agora você pode sair e dizer que aprendeu alguma coisa hoje: aprendeu que congestionamento é um saco e aprendeu dois conceitos que você talvez nunca mais use na vida: demanda latente e demanda induzida. Isso aí tá mais batido do que tabuada: não é construindo viadutos e alargando pistas que se resolve o problema dos congestionamentos. O mundo todo sabe disso. Mas parece que há interesses envolvidos por trás disso tudo. Interesses estes que não estou apto a debater. Fiquem à vontade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

Fale comigo no Msn